Mensagem do Padre

 

Ano Novo

            Uma reunião de ex-alunos é motivo de festa. Num instante, há regressão de anos na narração de fatos do passado. As recordações enchem as conversas. Apesar de se matar a saudade, fica depois um travo amargo. O tempo é irreversível. Deixa marcas na fisionomia e aprofunda sulcos nas aparências vividas. Diz-se que recordar é viver, porém tempo vivido não volta mais atrás. É só lembrança.

             

            Um olhar sem fé descobrirá desgaste, demolição da casa da vida. Um olhar de fé, vê no tempo a retirada gradual dos andaimes: a revelação da vida verdadeira, da construção definitiva. Então o tempo é graça, é dom. É valorizado não pela quantidade, pela extensão de anos. Seu valor provém da qualidade da intensidade com que é vivido.

 

                 O provérbio popular nos diz: ano novo, vida nova. O termo novo, traz consigo um mundo de esperanças, outra animação. A moda se renovará; projetam-se roupas, decorações, tipos de carro... novidades comandam o ano que se inicia. Aos que receiam o risco do passo enfrente se oferecem respostas fáceis: a ingenuidade de horóscopo e previsões futuras. São as falsas seguranças dos que ainda não compreenderam que a vida é um risco que se assume dia a dia. Um olhar para o passado não significa esquecer o que se passou. Sempre tirar uma lição dos fatos. Fazer do ontem o trampolim para o hoje e o amanhã. Pode ser que não tenha sido muita coisa. Os pastores cantaram hinos de alegria. No estábulo encontram bem pouco: um menino recém nascido envolto em panos deitado numa manjedoura, dentro de uma gruta. Na fraqueza e na pobreza foram capazes de entrever a presença de Deus.

                   Saíram dali espalhando a notícia. Cantaram o que ouviram e viram. Com suas palavras fizeram Jesus nascer em muitos corações.

Como será este ano que se inicia? É uma interrogação e também um certo temor. Mesmo assim vamos desejando e recebendo augúrios de felicidade e prosperidade para o ano. Talvez a nossa preocupação deveria ser mais conosco e menos com o tempo. O que faremos com o ano que temos para frente?

                   Nada se muda no mundo enquanto não se mudar o coração. Paz não é só ausência de guerra. Pode até ser um começo, mas não é tudo.

                A paz e dom de Deus. Temos que alcançá-la pela oração. As atitudes de guerra têm de ser substituídas por atitudes de paz. Há uma educação para a paz a ser empreendida. Crer e si, crer no outro; dar um crédito à boa vontade. É preciso crer em Deus: Ele que nos anima na busca da paz, para Ele, nada é impossível. Feliz ano novo!

Mons. Geraldo P. de Carvalho

 

Santuário Nossa Senhora do Amor Divino.

Rua Vigário Corrêa, nº 195, Corrêas - Petrópolis/RJ   |   Tel.: (24) 2221-2684

Desenvolvido pela

  • Instagram - Black Circle
  • YouTube Quadrado Preto
  • Facebook quadrado preto